Pular para o conteúdo principal

As Três Faces do Deus

O Deus, assim como a Deusa, possui também três aspectos: o Cornífero, o Homem Verde e o Ancião. Cada face está associada a um período da evolução humana e de nossa própria vida e da roda do ano.

Cernunnos
O Cornífero é a face do Deus que exerce domínio sobre as florestas. Ele é a representação da Natureza intocada e de tudo o que é livre. Nesse aspecto o Deus assume a face de Caçador e representa a renovação, virilidade, força, fertilidade e vitalidade. O Cornífero exerce domínio sobre os animais selvagens e ferozes. Esteve em contato direto com a humanidade principalmente nos períodos Neolítico e Paleolítico, onde os homens subsistiam principalmente da caça. 
Os exemplos associados à face de Cornífero do Deus são Cernunnos, Pan, Esus e Odin.

Sileno

O segundo aspecto do Deus é o Homem Verde (Green Man), Ele é o Senhor da Colheita e de toda a Natureza cultivada. Está relacionado aos grãos e ao desenvolvimento da agricultura. Exerce domínio sobre a vida e o crescimento das plantas. É ele que nos traz a alegria, a felicidade. Está associado aos excessos e ao êxtase provocado pelo vinho, tão sagrado para as culturas primitivas. Nessa face Ele assume vários papéis, principalmente o de Filho e Amante da Deusa. Sua face com múltiplas folhas aparece em construções de antigas tabernas, espalhadas por toda a Europa, representando a sua ligação com a embriaguez através do vinho. É o portador de alegria. 
Os exemplos associados à face do Homem Verde são: Baco, Dionísio e Sileno.

Dagda


O Ancião é a terceira face do Deus e representa o conhecimento acumulado e a sabedoria. Exerce domínio sobre os conhecimentos ocultos e sobre a Magia. Ele é o Deus das Sombras, aquele que conduz as almas dos homens ao Outro Mundo. Está relacionado ao início das civilizações. 
Os exemplos associados à face de Ancião do Deus são: Dagda, Cronos, Teutates e Plutos.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Nome Mágico

O nome mágico ou nome pagão é o nome usado pelos bruxos durante os rituais e atos de magia. O objetivo é se identificar com divindades, guardiões das torres, quadrantes e outras entidades mágicas e espirituais. Algumas Tradições acreditam que conhecer o nome mágico de outra pessoa dá ao que conhece poderem mágicos ou controle sobre ela. Por isso, alguns pagãos adotam um nome que usam em público e outro que somente ele e seu Sacerdote ou Coven conheçam. 

Esse nome pode ser escolhido pelo próprio bruxo ou ser adquirido. É interessante antes de se adotar um nome, fazer o estudo numerológico dele, para que ele tenha mais força e a energia que você precisa.
Geralmente se escolhe o nome de uma Deidade ou se adota um nome que indica diretamente a característica que se quer. 

É importante ter em mente que além do nome escolhido trazer as características que você deseja, você e ele devem estar em harmonização perfeita. Não se batize perante os Deuses com um nome pelo simples fato de ter sido de u…

A Árvore Celta da Vida

Essa é uma das muitas imagens que representam a Árvore Celta da Vida. Ela tem um papel essencial na espiritualidade Celta. Para esse povo as árvores eram a  fonte da sobrevivência – dava os frutos, o abrigo e o combustível para cozinhar e aquecer. Sem as árvores seria muito difícil viver. A madeira de árvores sagradas possuem propriedades mágicas, que podem ser vistas no alfabeto Celta, o Ogham, onde cada letra representa um árvore sagrada. Algumas árvores dão frutos, algumas madeira para fazer armas, outras foram sacralizadas às fadas ou aos Deuses. Nas histórias contadas pelos Celtas, as árvores eram seres de sabedoria. Criaram o alfabeto, o calendário e eram entrada para os reinos dos Deuses.  Árvores são uma conexão com o mundo dos espíritos e também portais para outros mundos. A mais sagrada das árvores é o Carvalho, que presenta o axis mundi, o centro do mundo. O nome celta do Carvalho, Daur, é a origem da palavra door (porta em inglês) – a raiz do carvalho era literalmente a porta…

Hematita

A hematita é uma pedra estranha e pesada. Seu nome já é um mistério. Para os antigos, a hematita era o que conhecemos como heliotrópio, logo, quase todas as informações mágicas que se referem à "hematita" nos velhos livros dizem respeito ao heliotrópio. Quando lapidada,  a hematita "sangra" e, segundo dizem, produz manchas muito parecidas com sangue, daí vem o seu nome, do grego 'Haema', que significa sangue. Ela é uma pedra fina e vistosa. Na Itália são feitos colares vendidos como "cuspe de vulcão". Informações na magia sobre essa pedra são escassas. A hematita possui a curiosa propriedade de "se curar". Risque a superfície da pedra e esfregue-a com o dedo. O arranhão pode desaparecer. 
Em 2004, a sonda Opportunity, da NASA, descobriu pequenas esferas que acreditam ser feitas parcialmente ou principalmente de hematita em Marte.
"A hematita avisa que é hora de atenção. Mantenha-se longe dos problemas para evitar confusão".(Mensag…